domingo, 20 de setembro de 2015

Novo Single De Ellie Goulding + Tracklisting Do Novo Álbum

  Saiu! Finalmente! O primeiro single do novo álbum da nossa querida Elliezinha foi liberado!

                                  

  "On My Mind" veio junto com o anunciamento do terceiro álbum da cantora, sem data prevista pra lançamento (só se sabe que será no mês de Novembro), mas com o nome, tracklisting e a arte já liberados. "Delirium" terá 22 faixas em sua versão Deluxe, incluindo o novo single, "Outside" com Calvin Harris e "Love Me Like You Do" da trilha sonora do filme Fifty Shades Of Grey. [Nota de revolta: Não sei por que ela não colocou Beating Heart, que foi da trilha sonora de Divergent. Fiquei pessoalmente ofendido porque é a minha favorita]


  Ellie sempre me surpreendeu não somente com a qualidade das suas letras, que parecem poesias, mas como a qualidade do seu som ao vivo. Sua voz é absurdamente idêntica às versões de estúdio e eu acho isso incrível, e tenho certeza que nunca vou me acostumar. "On My Mind" fala sobre ter uma pessoa presa à sua mente, alguém novo, que você não sabe como se tornou tão importante. A música tem uma pegada bem pop eletrônica, com um riff de guitarra característico que lembra muito o usado em "Outside". Com uma batida simples e um mix eletrônico de qualidade, a música é e não é ao mesmo tempo o que estamos acostumados à ouvir de Ellie. Mas como assim? Dê play no vídeo e comente se você concorda que Ellie saiu de sua zona de conforto e está se aventurando em territórios novos.


                                    
  É incrível como a versão ao vivo de "On My Mind" é tão parecida com a de estúdio


Segue o tracklisting de "Delirium"

Standard

1- Intro (Delirium)
2- Aftertaste
3- Something In The Way You Move
4- Keep On Dancin'
5- On My Mind
6- Around U
7- Codes
8- Holding On For Life
9- Love Me Like You Do
10- Don't Need Nobody
11- Don't Panic
12- We Can't Move To This
13- Army
14- Lost And Found
15- Devotion
16- Scream It Out

Deluxe

17- The Greatest
18- I Do What I Love
19- Paradise
20- Winner
21- Heal
22- Outside feat. Calvin Harris

                                
Cover art do novo álbum


  E aí Gouldings? Ansiosos com as novidades da nossa loirinha? Comentem aqui o que acham dessa nova era da música de Ellie que está apenas começando!










quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Macklemore E Ryan Lewis Lançam Música Com Ed Sheeran!

  Acabou de ser divulgada pelo Twitter de Ed Sheeran a música Growing Up (Sloane's Song), uma parceria da dupla Macklemore & Ryan Lewis com ele, com direito a download grátis e tudo. Se você quiser ouvir/fazer download da música, é só clicar aqui.




  A música trata-se de uma "carta" de Macklemore pra sua filha, Sloane Ava Simone Haggerty, nascida há 2 meses atrás, e marca o retorno da dupla que está trabalhando no sucessor de The Heist, seu primeiro álbum de estúdio, de onde foram extraídos sucessos como Same Love, Can't Hold Us e White Walls. A música é bem simples, com uma batida característica, alguns riffs de guitarra e trompetes. Macklemore começa cantando versos de rap e então Ed entra no refrão com um verso incrível em seus tons altos roucos. Quando achávamos que ambas as carreiras não poderiam ser melhores, eles nos surpreendem com essa música! Melhor parceria possível!

sábado, 18 de julho de 2015

Review: Finding Neverland: The Album (Songs From The Broadway Musical)

  Bom dia leitores do PND! Como vocês estão? Faz um tempinho que o Blog está parado, por isso resolvi voltar com uma big postagem sobre uma trilha sonora que está tomando as rédias da minha vida ultimamente. Já faz um tempinho que um novo musical da Broadway estreou, chamado Finding Neverland, e não muito recentemente - no dia 8 de Junho precisamente - uma trilha sonora com as músicas do mesmo foi lançada. O álbum consiste nas canções do musical em versão pop, cantadas por artistas renomados e famosos da atualidade. Já fiz uma matéria sobre a música All That Matters, interpretada por Christina Perri assim que a mesma saiu, e agora farei uma resenha completa sobre o álbum. Essa postagem já estava praticamente pronta há quase um mês atrás e eu demorei para postá-la devido à alguns problemas pessoais, mas de certa forma foi bom porque como estou completamente apaixonado por cada uma das músicas - e em consequência, pelo musical em si - , isso me deu uma perspectiva completamente diferente das músicas e complementou bastante minhas análises. Finding Neverland me conquistou tanto e eu estou tão louco pelas músicas e pela história que posso dizer que agora já tenho um musical favorito. Prontos pra pegar a segunda estrela à direita direto até a luz do amanhecer? Vamos lá!





  O álbum começa com a emocionante Neverland, interpretada pela cantora Zendaya. Eu confesso que não imaginava que ela possuía uma voz tão doce, equilibrada e gostosa de ser ouvida. A música acompanha belos corais de fundo com um piano e orquestra característicos. Achei uma surpresa e tanto colocar uma cantora tão jovem e não marcante no mundo musical para abrir o álbum. Mas apostaram e acertaram bem. Enquanto ela canta "we're closing now to finding neverland", você já consegue sentir a magia do álbum te dominando, e o mesmo é realmente assim: parece que todas as músicas são repletas de mágica. A segunda música, Stronger, é cantada pela cantora Kiesza. Ela é um dos nomes em ascensão da música eletrônica e foi a primeira vez que ouvi o trabalho da mesma. Me apaixonei pela voz e pelos tons altos em voz de cabeça que ela faz na música, e já fui conferir o ao vivo pra saber se ela tem mesmo essa voz toda. Fiquei positivamente surpreso. A letra é forte e tem bastante atitude, numa pegada mais pop misturada a teclados sintetizados e coros de fundo. A mesma foi lançada como single e ganhou um clipe para promover o álbum. Confira abaixo:






  Believe, a terceira música, é interpretada pelo ex-Jonas Brother Nick Jonas. Não fiquei muito impressionado com a performance vocal dele porque a mesma está repleta de sintetizadores, mas a letra e o ritmo são muito a cara de musicais da Broadway mesmo. Fui conferir uns vídeos do musical para saber se quem sabe ela ficasse melhor na performance dos próprios atores, e eu certamente posso afirmar que sim. Não estou dizendo que Nick fez um mal trabalho. É só que certas músicas não foram feitas para ganhar uma adaptação pop. A quarta música, When Your Feet Don't Touch The Ground, é interpretada por uma das minhas queridinhas nenecas do momento, Ellie Goulding, que já havia me conquistado com sua performance na trilha de Fity Shades Of Grey com o masterpiece single Love Me Like You Do. Dessa vez, ouvimos uma Ellie mais doce e frágil, cantando uma balada com a sua voz singular carregada de emoção. Tenho certeza que é um dos momentos em que choraremos ao assistir ao musical. Amo músicas desse estilo, com instrumentais simples e letras poderosas. É com certeza uma das masterpieces do álbum, para ser ouvida em todo e qualquer momento. A letra é bem emocionante e fala sobre uma reflexão do passado, sobre uma época em que tudo era mais fácil e feliz. Não consigo parar de ouví-la por causa da letra e porque estou viciado na Ellie ultimamente.

  A quinta música, Circus Of Your Mind, que é interpretada por Paloma Faith veio pra agitar o álbum novamente. Com uma ótima performance vocal e um coral de acompanhamento genial, já podemos imaginar essa música sendo interpretada por algum dos vilões da história. Assim como Believe, é uma música que tem bem cara de musical mesmo. Logo após temos o primeiro dueto do álbum, What You Mean To Me, interpretado por Trey Songz e Jennifer Lopez. Eu particularmente detesto a tão adorada JLo mas ela vai tocar bastante tempo nos meus ouvidos porque eu simplesmente me APAIXONEI pela música. Bem sério. As vozes dela e do cantor Trey Songz simplesmente se entrelaçam numa dança perfeita de tons suaves que são um carinho aos ouvidos, fora a letra, que é maravilhosa. A música ainda conta com a clássica frase "segunda estrela à direita, direto até o amanhecer", citação que todo fã de Peter Pan que se preze sabe o que significa. Masterpiece do álbum, com certeza, a segunda na ordem da tracklist. Peça simplesmente genial. Logo após temos o segundo dueto, Are We Gonna Play?, comandado pela poderosa voz de Rita Ora, acompanhada dos raps de Sage The Gemini. A música é boa, só ainda não consegui visualizar onde a mesma entraria no musical. Talvez a versão desta tenha ficado "rádio" demais, não de um jeito ruim, muito pelo contrário. Adorei o estilo Pop/R&B da canção, tornando o álbum ainda mais convidativo e gostoso de se ouvir.

  A oitava música, Anywhere But Here, é comandada por ninguém menos que a grande e respeitada Christina Aguilera. Com sua voz grave e poderosa, ela sabe como comandar uma balada nos mínimos detalhes. Eu sou suspeito pra falar dela (parece que tenho coisa com Christinas, na quinta série eu odiava uma professora chamada Christina) porque sou completamente apaixonado por seu controle vocal. E o jeito em que ela dança com sua voz nessa melodia triste com uma ponta de esperança só me fez aumentar ainda mais minha admiração por ela. Que controle! Que segurança! Dá-lhe Xtina! Sempre mostra a que veio! A terceira masterpiece do álbum, com toda certeza. A nona música, Beautiful Day, é interpretada por outra lenda, o cantor Jon Bon Jovi. A música também é daquelas que só de ouvir você já constata que foi retirada de um musical. O instrumental é bem menos carregado de sintetizadores e mais completo de instrumentos puros, e ainda conta com um solo de guitarra. Imaginem uma música da banda de Jon em uma peça de teatro sobre Peter Pan? Imaginaram? Pois então, é o que vocês encontram aqui. A décima canção e uma das minhas favoritas do álbum é interpretada pelo talentosíssimo grupo de a ccapella Pentatonix. Stars é com certeza uma das melhores apostas do cd. Eu sou completamente fascinado pelo que o pessoal do Pentatonix é capaz de fazer com a voz, e somado à letra incrível dessa música cuja qual eu estou bastante apaixonado, não posso evitar de ter tremeliques a cada vez que a ouço. Com certeza é um dos pontos mais fortes do álbum.

  A décima primeira canção, My Imagination é liderada pelo cantor John Legend. Uma canção bem simples, comandada por uma arpa, efeitos eletrônicos e a voz singular de John, não é uma das que mais chamam a atenção no álbum, mas ainda assim é muito linda. Logo após temos Something About This Night interpretada por Gary Barlow, membro da banda Take That e co-compositor da maioria das músicas do musical, e We Own The Night, interpretada por Matthew Morrison, um dos atores principais da produção. Ambas as canções estão em roupagem de musical e você também consegue perceber que são músicas retiradas do mesmo.

  Finalmente chegamos à quarta e última masterpiece do álbum e minha favorita de todas, a minha tão querida All That Matters, interpretada por Christina Perri. Já fiz uma análise sobre essa música em uma outra postagem exclusiva só pra ela (você pode ler clicando aqui), mas vou repetir o que já escrevi anteriormente: a música é bem o usual da Ceeps, piano característico, vocais doces e uma letra poderosa. A melhor de todo o álbum, e não estou dizendo isso só porque sou fã da Christina. Comparado à questão de vocais, letra e arranjos, acho que não tem nenhuma música mais mágica que essa. Finalmente chegamos ao fim do álbum com If The World Turned Upside Down, interpretado pela banda Goo Goo Dolls. Em clima de musical mas com um toque característico da banda de rock e uma letra repleta de esperança, a faixa encerra a história de Finding Neverland deixando um "gostinho de quero mais" para o ouvinte.


  Finding Neverland já é um sucesso de bilheteria do ano de 2015 nos teatros dos Estados Unidos, e recentemente estreou com tudo na Broadway oficialmente. Como eu disse antes, acho que já posso afirmar que é o meu musical favorito. Estou apaixonado pela história, pelas músicas, pelas interpretações, apresentações, elenco, enfim, fui completamente fisgado! Ontem, dia 17 de Julho, foi finalmente em nome de Jesus liberado o álbum do score oficial do musical no iTunes, interpretado pelo elenco original e com os arranjos oficiais das músicas. Em breve farei uma postagem sobre o mesmo, e prometo que não vai demorar tanto quanto essa demorou! Por hora, fiquem com um gostinho do que vem por aí no vídeo abaixo! Até a próxima!



 When Your Feet Don't Touch The Ground por Matthew Morrison e Aidan Gemme

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Vem Conferir As Novidades De Demi Lovato E Lady Antebellum!

  Boa noite, leitores do PND! Feliz mês de Julho! E nada melhor pra começar um novo mês do que novidade na música!

  Na Segunda-Feira, dia 1, a cantora Demi Lovato liberou seu mais novo single, Cool For The Summer, como primeiro single de seu aguardado quinto álbum de estúdio. A música é um synthpop com dance e elementos pop rock e você pode até ouvir uns elementos Indie Pop no meio. A música foi escrita e produzida por Max Martin, e co-escrita por Demi, Ali Payami, Alexander Erik Kronlund e Savan Kotecha. A letra é bem ousada e fala sobre descobrir uma pessoa se relacionando com ela (se é que vocês me entendem), podemos ouvir até Demi xingando um "Fuck it all" no meio. Uma ótima aposta pro verão americano, eu diria. Você pode ouvir a novidade clicando aqui.





  A banda Lady Antebellum também iniciou o mês de Julho com novidades. Eles lançaram um clipe oficial para a faixa Long Stretch Of Love (pra minha felicidade, pois é a minha segunda favorita do álbum), terceiro single de seu sexto álbum de estúdio, intitulado 747. Eles já haviam lançado um clipe para a música só que em "versão ao vivo" mostrando cenas da tour. Nesse vídeo "oficial", a banda está tocando num galpão escuro e alguns elementos da letra da música são mostrados enquanto eles cantam os versos, como um copo de Whisky sendo cheio e um pneu em chamas. Também há uma cena de Charles Kelley, um dos vocalistas da banda, pulando e quebrando um vidro. É um vídeo bem simples, mas a música é bem poderosa e fala por si só.




  E que venham mais novidades boas como essas pelo resto do mês!

terça-feira, 23 de junho de 2015

Fort Minor Está De Volta! E Com Um Bem Elaborado Clipe Em 360°

  Se você assim como eu cresceu escutando música dos anos 2000, com certeza teve a infância/ pré adolescência/ adolescência inundada por "clássicos" como Avril Lavigne, Evanescence, Limp Bizkit, Sum 41, Nickelback, Simple Plan, Kelly Clarkson, 30 Seconds To Mars e é claro, Linkin Park. Mas você sabia que naquela época, Mike Shinoda, renomado guitarrista e rapper da banda possuía um projeto paralelo de Rap? O projeto intitulado Fort Minor fez bastante barulho na época com os singles Where'd You Go? e Remember The Name, mas depois entrou em hiato e Mike seguiu somente com o Linkin Park. Pois então, parece que depois de 10 anos, Mike resolveu voltar com o Fort Minor e surpreendeu a todos essa semana com uma música autêntica e singular, e um clipe ainda mais inteligente.

  Como todos devem saber (ou não), Mike é um artista brilhante. Sim, ele é um artista, eu não consigo chamá-lo apenas de "músico" ou "rapper" ou "o cara do Linkin Park" porque ele é absurdamente talentoso demais pra ser definido apenas só como uma coisa. Conseguimos tirar isso partindo do próprio Fort Minor: em seu primeiro álbum, The Rising Tied (2005), Mike escreveu, produziu, cantou, tocou e mixou todas as músicas e fez toda a arte do álbum. Ainda começou sua própria gravadora com alguns membros do Linkin Park, a Machine Shop Recordings, e abriu as portas para muitos artistas novos na época, tais como Skylar Grey. Além disso, Mike é artista formado na Art Center College Of Design e faz grande parte das artes dos álbuns do Linkin Park com o DJ da banda, Joseph Hahn, além de já ter tido sua arte exposta em duas exposições oficiais. Agora, vamos falar do projeto novo.




  Welcome é, de acordo com Mike, um hino dos "underdogs", os desajustados, oprimidos, esquecidos, ignorados. "É uma canção de fora. O Fort Minor sempre foi meu escape como artista e pintor, e um jeito de construir confiança individual, através da minha voz individual". Como está escrito no "bilhete" que vem junto com o download gratuito da música (você pode baixar no site oficial do Fort Minor, clicando aqui), ele tocou cada nota, escreveu e cantou cada palavra, produziu e mixou a música, e criou toda a arte. Ontem o vídeo da música foi liberado no Youtube e com ele uma surpresa: foi filmado todo em 360 graus. Você precisa de uma plataforma do Youtube no celular ou do Google Chrome pra poder assistir (embora eu não tenha conseguido abrir no meu computador), mas uma vez que você conseguir, você ficará tão impressionado quanto eu fiquei. É tão mágico que eu tô aqui descontrolado assistindo até agora (risos). Incrível o que a tecnologia pode fazer. No caso do celular, é só você rodar o mesmo em várias direções diferentes pra visualizar a paisagem. Não tenho nem palavras pra dizer o quanto fiquei fascinado com isso. E gostei muito da cena em que Mike toca todos os instrumentos, o que torna tudo ainda mais real. Tipo "é, ele realmente criou tudo". Ele ainda explicou que a música não é parte de um novo álbum. "É apenas uma música que eu gostaria que as pessoas ouvissem agora". Confira abaixo!




  E aqui, o que achou do retorno do Fort Minor? Deixe seus comentários aqui no PND

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Tove Lo Lança Clipe Para "Timebomb"

  Acabou de ser divulgado o novo clipe da cantora Tove Lo, Timebomb, quarta faixa de seu primeiro álbum de estúdio, Queen Of The Clouds. Eu precisava fazer uma postagem pra divulgar o novo clipe por motivos de: mais uma vez minha música favorita de algum álbum vira single e ganha clipe. Eu tenho um carinho tão grande por Timebomb e a música significa tanto pra mim que eu não poderia esperar menos do clipe.




  Timebomb fala sobre o tempo que você passa com uma pessoa que é muito especial e significa muito, mas que você sabe que não vai durar. Ela não é "a escolhida", geralmente sentimos esse tipo de coisa quando começamos um novo relacionamento. Ou não, mas isso varia de pessoa pra pessoa. Tove resolveu abordar isso no clipe de forma simples, mostrando variados tipos de casais - héteros, homossexuais, novos, velhos. Uma hora estão discutindo, outra se amando. Achei o conceito perfeito para a música, partindo da premissa de que todas as pessoas sentem algo, não importa por quem ou como, e às vezes esse algo não dura tanto quanto poderia, e é nessa parte que dói. E como se não fosse o suficiente, a cantora ainda aparece completamente nua no clipe! Cada vez mais podemos vê-la quebrando tabus e rompendo barreiras do mundo pop. Tenho certeza que não vai demorar muito para Tove conquistar seu lugar ao sol, e pelo tanto que gosto dela, espero que seja logo. Assista o clipe abaixo e deixe seus comentários:





domingo, 31 de maio de 2015

Tag: Amo/Odeio



  Boa tarde, leitores! O PND foi indicado para a Tag Amo/Odeio pela Jéssica Sousa do blog Rascunho Com Café. Obrigado pela indicação, Jess!

  Funciona dessa forma: citar dez coisas que amo e que odeio, pôr o banner da tag, marcar quem indiciou e indicar 10 blogs para responder. Como esse Blog fala sobre música, resolvi fazer diferente e ao invés de colocar coisas aleatórias que eu amo ou odeio, falarei sobre as dez que mais amo e odeio no universo musical. Estão prontos?


10 COISAS QUE AMO

1-Músicas "Reais"
Não tem nada que eu admire mais do que uma música real, sincera e verdadeira, aquela que foi composta ou cantada direto do coração. A que você ouve e consegue enxergar a cena na sua cabeça, e pensar "nossa, isso estava acontecendo mesmo". Exemplo: Between The Lines - Sara Bareilles.

2-Cds
Já falei a razão de eu amar colecionar cds várias vezes aqui, mas vou falar de novo: cds contam histórias, como livros e fotos. Cada cd que comprei ou ganhei tem sua própria história, e não importa quando, eu sempre vou lembrar de todas cada vez que olhar para a capa ou ouvir as músicas. Por exemplo, um cd que marcou muito a minha vida: 21 da Adele.

3-Shows
Gente, tem coisa melhor do que ir em um show e ouvir suas músicas favoritas ao vivo? É muito louco pensar que o cérebro que criou aquilo tudo que você ouve, que você gosta, que te inspira, está ali bem na sua frente, mostrando sua arte ao vivo e a cores. Já fui a shows bons, shows mais ou menos, shows ótimos e a shows SURREAIS. Exemplo de um show que foi surreal pra mim: Christina Perri, Head Or Heart Tour.

4-Filas De Shows
Já fiz amizades em filas de shows que duram até hoje (beijo Lari e Ellen!), por isso eu sempre achei que esperar na fila com a galera era a parte mais divertida do show. Melhor fila de show da minha vida: Paramore, South America Tour. Apesar de toda a chuva e o frio que passei dormindo na fila, foi a melhor experiência que já tive nessa questão porque amigos meus de vários círculos diferentes e que não se conheciam se juntaram nesse dia. Formamos um grupo forte que ficou unido até o final, se ajudando e se guiando, e desse modo todos pegaram ótimos lugares e curtiram o show muito bem.

5-Clipes Com História
Amo absolutamente clipes desse tipo. Aqueles que contam uma historinha, sabe? Alguns já mudaram minha vida, por isso que eu sou devoto à eles. Exemplo: Nobody's Home - Avril Lavigne.

6-Músicas Tristes E Depressivas
Músicas alegres, que falam sobre festas e diversão não convém em todos os momentos. Agora, uma baladinha triste que faz você deitar a cabeça no vidro do ônibus e se imaginar em um filme caem bem em todos os momentos, até em momentos alegres. Exemplo: Sad Beautiful Tragic - Taylor Swift.

7-Edições Deluxes
Nada melhor do que uma versão mais aprimorada de um álbum que você já gosta. Exemplo: 1989 também da Taylor na edição deluxe, que vem com uma capinha de papelão protegendo o cd e 13 fotos polaroids com as letras das músicas.

8-Artistas Desconhecidos
Também já comentei sobre o assunto aqui (você pode conferir a lista dos meus favoritos clicando aqui), amo artistas desapreciados e apagados, ou porque estão apenas começando ou porque não conseguem reconhecimento mesmo. É triste porque geralmente, são os melhores e mais originais que você vai ouvir. Exemplo: Gabrielle Aplin.

9-Músicas Desconhecidas
Aquelas músicas perdidas em álbuns que ninguém conhece de artistas que ninguém liga. Que nunca são singles ou nunca são tocadas ao vivo. Geralmente são as minhas favoritas. Exemplo: First - Lucy Rose.

10-Músicas Com "Home" No Meio
Eu não conheço uma música que fale sobre Home que não me emocione. Seja um lugar ou uma pessoa o que você chama de lar, você sempre se identifica de alguma forma. No meu caso, eu sinto muita saudade de casa então essas músicas são um conforto pra minha alma. Me sinto revigorado cada vez que as ouço. Exemplo: Home - Phillip Phillips.


10 COISAS QUE EU ODEIO

1-Músicas Sem Conteúdo
Não tem coisa que me irrita mais do que músicas que falam sobre festas, bebedeira, drogas e sexo. Até gosto de algumas, mas essas geralmente não usam um desses temas como o principal. Não critico quem goste, mas minha vida é muito importante e curta pra eu gastar meu tempo vivendo numa atmosfera tão vazia quanto essa. Exemplo: Anaconda - Nicki Minaj [E pretty much todas as músicas dela que eu já ouvi exceto Fly, inclusive as que ela faz participação].

2-Artistas Sem Conteúdo
É sério, eu fico POSSESSO de ver pessoas sem um pingo de talento sob a luz dos holofotes quando existem artistas que trabalham tão duro e fazem tantas coisas por eles mesmos completamente apagados e sem reconhecimento. E só vou dizer isso porque se eu me aprofundar nesse tópico, vamos ficar aqui pra sempre porque do que eu tenho pra falar e de tanto artista que eu tenho pra criticar... Exemplo: Britney Spears.

3-Clipes Sem Conteúdo
Porque eu acho que se é pra fazer clipe falando sobre bundas chacoalhando, é melhor não fazer nada. E é só o que eu tenho a dizer. Exemplo: Wiggle - Jason Derülo.

4-Fãs Sem Noção
Não, não é porque você é fã de alguém que você entende de música. Não, sua cantora favorita não é a melhor do mundo só porque ela atingiu tal nota. Não, sua cantora favorita não é menos merda só porque ela sabe dublar e dançar pra compensar o fato que ela não sabe cantar. E SIM, PRA SER CANTORA PRECISA SABER CANTAR SIM. Exemplo: Os fãs da Britney Spears.

5-Músicas Boas Interpretadas Por Artistas Ruins
É triste porque eu gosto de muitas músicas que são boas mas que são interpretadas por artistas que eu odeio (e a razão de eu gostar é porque a música nunca é escrita nem tocada pelos intérpretes). Exemplo: 'Till The World Ends - Britney Spears.

6-Artistas Ruins Superestimados
Eu nem preciso explicar nada nesse tópico, só citando o exemplo vocês vão entender do que eu tô falando. Exemplo: todos os artistas famosos da atualidade brasileira, principalmente os que cantam Funk e "Sertanejo Universitário" (que não sei quem foi o imbecil que inventou essa porra de nome porque só existe um gênero de Sertanejo. Saudações Tonico e Tinoco).

7-Minhas Músicas Favoritas Virando Hits
NÃO TEM COISA QUE MAIS ME DEIXA COM ÓDIO DA VIDA DO QUE ISSO. Como eu já disse, eu sou apaixonado por músicas boas que ninguém conhece, e tenho uma relação muito estrita com minhas músicas favoritas. Agora, quando FINALMENTE as pessoas resolvem reconhecer que a música é boa e começam a dar atenção demais pra ela, eu odeio. Eu sou muito ciumento, com tudo, porque as coisas e as pessoas que eu gosto tem um valor enorme pra mim, e eu simplesmente não consigo vê-las interagindo com outras coisas e pessoas. Exemplo: Someone Like You da Adele. Na primeira vez que ouvi essa música, eu me apaixonei completamente e a adotei como minha favorita do álbum, principalmente porque um tempo depois eu estava vivendo algo parecido com a letra da música. Eu amava, simplesmente, ficava ouvindo a mesma música o dia inteiro e torcia pra ela lançar a música como single. Ela o fez. Saiu o clipe - péssimo por sinal. A música explodiu para mundo e de repente tocava em todos os lugares: na rádio, no bar da vizinha, nas cenas da novela. Todo mundo cantava a música. Todo mundo dizia que era sua música favorita. Todo mundo estragava MINHA música. Conclusão: eu tomei um nojo tão grande da música que até hoje eu ouço o cd e desligo em Lovesong (risos).

8-Meus Artistas Favoritos Virando Ídolos
Mesma questão das minhas músicas favoritas, só que com os artistas. O exemplo mais óbvio: Christina Perri, meu ídolo. Quando a conheci, ela ainda não havia lançado a tão famosa A Thousand Years que também explodiu pelo mundo e tocou em todo lugar, e foi cantada por todo mundo a ponto de me deixar com ódio eterno da música. Ela era só a minha Christina. A super-apreciada pela mídia mas que ninguém ligava. Até que ela veio ao Brasil e surgiu gente de todos os buracos que também era fã e eu nunca tinha visto, e eu fiquei tipo "Mas ela não era só a minha Christina?". Mesmo eu sabendo que ela tinha uma fã base, os Penguins, eu nunca achei que perto de mim existia tanta gente que cultivava o mesmo amor por ela do que eu. Hoje em dia eu não sou tão possessivo e agradeço por existirem tantas pessoas que também gostam dela, mas ainda assim tenho um pouquinho de ciúmes, afinal pra mim sempre foi eu e ela contra o mundo (risos). Já estou me preparando psicologicamente pra quando a Gabrielle Aplin estourar, porque VAI acontecer alguma hora, tenho certeza, e embora ela não seja ídolo pra mim nem nada eu a admiro muito.

9-Leigos
Por favor, se você nunca estudou música na vida, não inventa de discutir com quem estuda há 9 anos só porque você lê sites como PopLine e curte páginas como VocalPop.

10-Pessoas Que Falam Que Tudo É "Flop"
Miga, se você acha que tudo que não alcança o topo dos charts é flop, apenas pare. Volte pra escolinha de drags e aprenda que música de verdade não é aquela que vende mas a que toca seu coração.


Não consegui encontrar dez Blogs para indicar que já não tivessem sido indicados, então indicarei estes:

Miscelânea Da Mari
Teenage Dream
Don't Care
It Makes You Laugh

  That's al, folks! Deixem seus comentários, sugestões e críticas! Até a próxima!